Tiago Gouvêa

Blog

O que exige a profissão “programador”

O que exige a profissão “programador”

Um tempo atrás estava observando como é essa “vida de programador” e percebi algumas nuances, algumas coisas que tornam a carreira de um desenvolvedor bem distinta. Cada profissão tem suas peculiaridades, mas aqui, venho falar da programação.

Analista de sistema, engenheiro de software, desenvolvedor web…

Estes são normalmente os títulos recebidos ao se formar, mas muitos se tornam na verdade programadores. Não se forma programador; se torna programador. É o contrario da medicina, onde o estudante se forma médico, para depois se tornar cardiologista ou pediatra e assim ser um especialista.

 

Não precisa de faculdade?

Médicos precisam do CRM, dentistas do CRO, advogados da aprovação da OAB e assim são com a muitas profissões. Para ser desenvolvedor não é preciso isso, o mais importante é o que realmente se sabe e a capacidade de entender e aprender coisas novas.

Para provar que não minto sozinho, na pesquisa de desenvolvedores stackoverflow, realizada anualmente, os resultados mostram na questão da educação que 69% do entrevistados informou ter aprendido a programar sozinho.

Screen Shot 2016-03-21 at 19.26.26

Concordo com a máxima “não deixe a faculdade atrapalhar seus estudos”, mas não diria (tão rapidamente) que não vale a pena faze-la, até porque, ela lhe dá a possibilidade de um mestrado ou doutorado (fora do Brasil por favor).

Se esse ponto é importante pra você; decidir por fazer uma faculdade ou não, recomendo escutar o pod cast do Murilo Gun no episódio Vale a pena fazer faculdade?.

Exige estudo

Em boa parte das profissões as pessoas aprendem um bom volume de coisas na faculdade e depois partem para a prática, repetindo o que se aprendeu e agregando algum conhecimento ao longo do tempo.

Já na programação, o estudo precisa ser constante, e quando digo constante não pense que é toda semana ler um pouco, é todo dia! Não estou exagerando, nos problemas e dificuldades que encontramos todos os dias programando, precisamos buscar soluções.. Hoje em dia 98% delas no google, em fóruns, em blogs.

A melhor característica em um bom programador é de aprender por conta própria.

Exige paciência

As vezes tudo para de funcionar. Você procura daqui, procura dali algo que tenha feito, mas nada.. E depois de horas, você descobre que deixou um ; (um ponto e vírgula) em algum lugar que não deveria ou esqueceu algum outro símbolo. Isso dentro de um universo de dezenas de arquivos, cada um com dezenas de páginas de código…. Aceitar isso, exige paciência. Investigar isso exige paciência.

Exige capacidade de concentração, interesse

Não funciona sentar e falar “que saco, preciso programar”… Simplesmente não sai nada. Se sair é de baixa qualidade ou pouca complexidade, ou seja, não fará diferença para o produto final.

O que um programador faz de realmente bom, é quando está altamente concentrado, interessado, focado no que está fazendo.

Você pode pensar que é como um contador fazer um balancete ou um administrador fechar o caixa, mas definitivamente não é. Você precisa “carregar” o pensamento por horas, juntar várias informações e ir construindo uma peça que nem sequer existe no quebra-cabeça. Criar algo virtual, quase imaginário, que funcionará em conjunto com centenas de outras peças imaginárias que você vai construindo. Exige ter bom raciocínio e é preciso ser bom em abstrações.

Exigem mais o que?

É tanta coisa.. diria que a capacidade e predisposição pra aprender são as coisas mais importantes. Se quiser saber mais, veja outros posts do blog. Comente aqui o que achou deste post!

 
 

Classificado como: Posts Profissionais

Participar comentando (1) →
  1. ALTAMIR DIAS CASSIANO 11 de Setembro de 2016

    Boa noite Tiago,

    Parabéns pelo trabalho, material sucinto e diretamente no ponto.

    Vi alguns comentários seu sobre curso de bacharel, infelizmente hoje não temos uma boa orientação do profissional que será formado, onde o graduando sô perceberá sua verdadeira atuação em estágios quase sempre ao fim da faculdade, com isso perdem um longo período “dando cabeçada” por aí.

    Forte abraçado.

    Responder

Deixe seu comentário

ra