Posts Profissionais

3 mitos sobre incubadoras de empresas

Em agosto de 2008 fui aprovado no processo de seleção para uma incubadora. De lá pra cá sempre me deparo com as expectativas das pessoas que costumam ter uma imagem formada do que é uma incubadora, porém, equivocada.

Portanto resolvi listar os mitos para que tudo fique bem claro.

1 – Na incubadora a empresa não paga aluguel

Antes de ir para a incubadora eu tinha um escritório 2 vezes maior e pagava metade do que pago hoje pela “taxa de incubação”, ou seja, o valor do m² é quatro vezes mais caro que um escritório no centro da cidade.

2 – Na incubadora a empresa recebe dinheiro

Se recebesse haveriam filas de empresas querendo a incubação. A empresa incubada é incentivada a participar de projetos do governo de apoio a inovação tecnológica, onde existem recursos para investimento. Mas empresas do “mundo lá fora” também podem participar.

3 – Na incubadora você “ganha” equipamentos e funcionários

Seria uma maravilha realmente! Mas a incubadora não pode alocar recursos próprios (federais) nas empresas, portanto os colaboradores e os equipamentos são próprios.

Páreo apertado

Como as empresas incubadas são constantemente auditoradas, andam na linha, com todos os funcionários registrados corretamente, vendas sempre com notas e não existência de caixa dois. Isso torna estas empresas ainda mais merecedoras de crédito pois estão concorrendo no mercado com empresas repletas de estagiários, carteiras assinadas abaixo do valor e vendas sem notas.

Diferenciação pela inovação

Com tanta “saia justa” a empresa incubada se diferencia realmente pela sua inovação, muitas vezes até não tendo concorrentes diretos no mercado, ganhando assim reconhecimento no segmento por mérito próprio, criando novos mercados.

Tiago Gouvêa

Full-stack Developer, fazendo códigos desde o século passado. Criador da metodologia "Aprender programação em 20 horas" e diretor da startup App Masters, voltada para o desenvolvimento de aplicativos. Apaixonado por tecnologia e viciado em café.

Respostas (0)

Escreva uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *