Posts Profissionais

Como trabalhar como freelancer

Uma modalidade de emprego que cresce cada vez mais é a de freelancer, palavra norte-americana usada para denominar um profissional autônomo. Geralmente, ele atende várias empresas prestando os serviços possíveis dentro da sua capacitação. É bastante comum entre jornalistas, fotógrafos, músicos, designers, arquitetos, tradutores, programadores e outras áreas.

Ser um freelancer traz diversos benefícios. Um dos principais é a flexibilidade de horário. A pessoa pode se organizar e dividir seu tempo como achar melhor, já que não tem a obrigação de chegar à empresa para iniciar a jornada de trabalho em determinada hora. Porém, quem optar por este tipo de emprego deve ter um cuidado especial exatamente neste ponto! Tanta versatilidade exige muita disciplina, pois de qualquer forma, existe o compromisso de entregar os trabalhos prontos para os clientes dentro do prazo estabelecido. O freelancer deve procurar elaborar e seguir uma rotina para conseguir atender a todos.

Outro ponto em que se deve ter cuidado é no número de clientes a atender simultaneamente. Se o profissional não for organizado e se sobrecarregar, não conseguirá prestar um serviço de qualidade a todos e poderá ficar marcado por isso. Lembre-se: a maior parte da divulgação do trabalho do freelancer acontece por indicação.

No momento de estabelecer preços, existem algumas possibilidades: cobrar por hora (isso quando houver total controle do tempo gasto para executar cada trabalho); por produtividade (redatores, por exemplo, que cobram um valor “x” por um texto com certo número de palavras); pensar no mercado (na média cobrada por freelancer da mesma área). Em todos os casos, é indicado sempre estar aberto para negociar com o cliente. Com o passar do tempo, ganhando experiência profissional, os valores aumentam gradativamente.

Mas nem tudo é fácil quando se escolhe trabalhar como freelancer. Muitas vezes é difícil conseguir clientes, principalmente dispostos a pagar os valores cobrados; há o risco de passar algum tempo sem projetos. Também não é fácil se colocar no mercado, além de não existir uma legislação que regulamente este tipo de trabalho. Contudo, para quem gosta de desafios e prefere poder fazer sempre atividades diferentes, sem uma rotina muito engessada, é uma forma de trabalho a se pensar.