Novo Posts Profissionais

O medo de aprender algo novo

Recentemente me disseram que um bom professor é aquele que lembra o que pensava e o que sentia, quando ainda não sabia o que ensina hoje. É aquele que lembra da sensação de não saber algo, da dificuldade que foi aprender, e principalmente dos obstáculos que enfrentou para realmente entender daquilo.

Este não é um post definitivo sobre o medo de aprender, mas são alguns insights que anotei ao longo do tempo e que podem lhe ser uteis.

Medo de aprender programação?

Quem não sabe programar muitas vezes sente um certo “medo” de começar a aprender. Isso é verdade! Você vê uma pessoa com uma tela preta, cheia de coisas coloridas escritas, cheia de “cálculos” (talvez?) e já sabe que ali tem coisa difícil de se entender. Como não ter medo?

Em alguns momentos é um misto de excitação com receio. “Será que vou conseguir aprender?”, “vou perder tempo nisso e não dar em nada?”,”vou ficar frustrado se não conseguir aprender?”. 

Na verdade a coisa toda do medo tem a ver com sair da zona de conforto e com o esforço que terá que se fazer para construir pensamentos novos e alcançar um novo nível de conhecimento.

Ao longo do aprendizado é certo se deparar com momentos de não entendimento, com momentos de dúvida, com coisas que realmente não serão aprendidas, ou seja, com os desconfortos de não saber algo completamente ainda. 

Medo de começar, medo de continuar?

De uma forma parecida, um programador experiente também sente esse mesmo “medo” antes de aprender algo novo. 

É mais fácil pensar que a dificuldade existe só no começo, mas não é a verdade. Ao longo da nossa carreira, muitas vezes precisamos estudar e conhecer coisas novas, e sabemos que grandes desafios irão se apresentar.

Talvez, este medo diferencie os bons dos não tão bons. Talvez os melhores profissionais sintam menos medo de aprender e conseguem se dedicar nisso com muito mais frequencia que outros. Isso pode ser um fator.

Saber mais, é bom demais!

Ao perceber que aprendeu realmente algo novo, você se sente gratificado, fica todo cheio de onda, e faz tudo aquilo parecer muito simples.

O que foi aprendido passa a ser óbvio, por mais difícil que parecesse antes e muitas vezes você já pode até ensinar alguém que ainda não saiba nada do assunto.

Afinal, este é o objetivo.

Seguem minhas recomendações

Seguem algumas dicas minhas para você que está precisando aprender algo novo:

Acalme-se, reduza sua ansiedade. Se tem algo te pressionando para aprender, ou se está com pressa de aprender isso logo, se acalme. A ansiedade te deixar apreensivo e muitas vezes não te deixa se concentrar o suficiente. Busque alguma forma de se livrar desta ansiedade.

Se o conteúdo te assusta, se informe sobre os arredores primeiro. As vezes o conteúdo é tão pesado, tão denso, que uma boa ideia é ler a respeito do conteúdo, sobre coisas relacionadas antes mesmo de iniciar os estudos. Assim o cérebro já vai se acostumando e criando mais sinergia com o assunto.

Deixe-se motivar pelo conhecimento que será adquirido. Ao invés de pensar só no quão difícil será, busque conteúdos e informações que possam te motivar a aprender sobre o assunto. Veja videos ou leia posts de pessoas que gostam disso, que fizeram coisas interessantes com isso ou que cresceram pessoalmente e profissionalmente com este conhecimento. Este movimento irá instigar seu real interesse pelo novo conhecimento.

Busque seu real interesse. Pare por algum tempo, feche os olhos e pense “porque você quer aprender isso?”. Responsa esta pergunta para você mesmo, busque sua própria motivação, seja ela qual for. Como será quando você dominar este assunto? O que mudará em você, no seu trabalho, no seu dia a dia, no seu ciclo de amizades? Alguns dizem que esta é a coisa mais importante antes de aprender algo novo.

Só você saberá o que sabe ou não, portanto não tenha medo do julgamento. Se a exposição aos demais lhe incomoda, siga sua linha de aprendizagem sem informar a ninguém, guarde em segredo. Na verdade, as outras pessoas estão muito menos preocupadas com você do que você imagina, você se cobra muito mais. Talvez quando se sentir mais confiante, deixe os outros saberem que aprendeu algo novo.

Comece por baixo e tente encontrar um platô mínimo de conhecimento. Não queira já aprender tudo de uma vez, ou aprender a parte mais difícil primeiro. Foque-se nos fundamentos, para poder entender todo o resto com mais facilidade.

Tenha coragem! Na vida é assim, precisamos sempre dar o próximo passo e é preciso coragem pra isso. Ou então, ficaremos sempre na mesma.

Persista! Se for mais difícil do que estava imaginando, não desista logo de cara. Tente outras formas de aprender, outras fontes de informação, ou até mesmo dê um tempo sem estudar alguns dias.. mas logo depois volte firme aos estudos.

E então, o que você está querendo aprender? Comente ai!

Te desejo boa sorte e sucesso!

Tiago Gouvêa

Full-stack Developer, fazendo códigos desde o século passado. Criador da metodologia "Aprender programação em 20 horas" e diretor da startup App Masters, voltada para o desenvolvimento de aplicativos. Apaixonado por tecnologia e viciado em café.

Conteúdo relacionado

Respostas (6)

Escreva uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. ROGIMÉRIO RIBEIRO

    Olá Tiago! Tenho 61 anos, e estou muito feliz em conhecer algo tão importante em minha vida. Resolvi ler alguns livros em setembro de 2019, e para minha surpresa me deparei com uma simples palavra “C++”, e esse código, me despertou uma curiosidade, e comecei a foliar alguns livros de programação, e hoje estudo HTML5, CSS3, JAVASCRIPT, ALGORITIMO, LOGICA DE PROGRAMAÇÃO, PYTON, ARDUINO. Tenho todas as pasta com vários livros em PDF, e cada pasta tem uma pagina de Word, para controle de meu estudo, sendo que assim, consigo estudar vários livros durante o horário matinal. Faço meu estudo todos os dias. Gostaria de Informar que já sou aposento e tenho uma loja de Informática, onde reparo notebooks, computadores e até faço restauração de placas.

    1. Tiago Gouvêa

      Bom demais hein Rogimério! Começando pelos fundamentos da web, e avançando sem pressa. Está certo!

  2. Fabiano

    Tiago, às vezes sinto esse medo mesmo pelo fato de ter mais de 50 anos e querer mudar de área de atuação. O que eu observo é que nesse mundo de programação aparecem mais pessoas jovens do que eu no cenário. Isso tudo me dá uma sensação de que não vou conseguir.

    1. Tiago Gouvêa

      Fabiano eu entendo seu medo. No meu time tem devs com metade da minha idade atual, e eles aprendem rápido demais! Qualquer tópicos novos eles conseguem absorver sem sofrer tanto.
      Por outro lado, eles ainda não têm a visão que eu tenho, a experiência que os anos trouxeram, dai é uma vantagem que ainda tenho.
      Escrevi uma resposta sobre isso um tempo atras; idade para começar a programar, 40 anos.
      O que eu te diria amigo, é pra não deixar o medo te engolir e não desistir. Vá no seu ritmo, talvez focando em uma “sub-área” com menos competição ou que tenha mais a ver com o que você já viveu aqui.
      Boa sorte e bons estudos!

      1. Fabiano

        Olá Tiago!
        Gostei do seu reply quanto à minha condição, pois foi de grande valia. Tenho frequentado bootcamps e ao mesmo tempo aprendido algumas coisas. No início a ansiedade tomava conta de mim pelo fato de querer absorver conteúdos em tempo record. Só que agora eu vi que tenho que ir no meu ritmo.
        Depois de me inscrever em vários bootcamps, ocorreu que me identifiquei com Mobile Applications (Android Studio); por acaso seria uma sub-área que você aconselha em sua resposta? Se não quais seriam por favor, para que eu possa ter uma ideia.
        Sou professor de inglês e vejo que tem me ajudado um pouco na compreensão dos comandos e que me faz lembrar também dos conselhos que você dá em um de seus artigos.
        Gostaria de saber se tenho que partir para algo pago ao invés de participar de bootcamps gratuítos?
        Um abraço e um obrigado por disponibilizar conteúdos de grande relevância para o público!

        1. Tiago Gouvêa

          Ótimo Fabiano!
          O mobile (android nativo) pode ser sim uma sub-área, que você irá focar. Não vai ficar querendo fazer swift, React Native, backend.. tudo ao mesmo tempo. Você se dedica só no mobile nativo android, e ai vai se tornar realmente bom nisso.
          Quanto ao inglês… maravilha! Com seu nível de inglês você tem acesso ao conhecimento mais puro e límpido que existe, e já sai BEM na frente de muita gente.
          Sobre ir pra conteúdo pagos ou não, ai é contigo.
          Tente manter uma lista de tudo que você não sabe, e veja como irá fazer pra aprender cada uma destas coisas. Pode ser em conteúdo gratuito, pago, mas muitas vezes na própria documentação.
          Boa sorte meu amigo, siga em frente!