Tiago Gouvêa

Blog

Vou mudar de vida e virar programador!

Vou mudar de vida e virar programador!

Crise, mudanças na economia, perda de estabilidade, incertezas quanto aposentadoria, mudanças culturais, o aumento da demanda de tecnologia por todos os setores… estes são uns dos motivos que têm levado cada vez mais pessoas se interessarem pela programação.

Mais que nunca, tenho visto pessoas de diversas áreas buscar aprender programação, por isso fiz este post com algumas considerações.

 

Em quantos meses consigo um emprego?

Antes de eu te responder isso, me diga. Eu sei escrever (tenho até este blog) e quando era criança gostava de escrever histórias, gostava de “redação”. Quanto tempo eu demoro pra escrever um livro? Uma semana, um mês ou um ano? Ou talvez mais que isso?

Não tem como prever quanto tempo alguém leva pra aprender a programar, até porque “saber programação” é algo muito subjetivo. Você pode aprender tudo de uma linguagem, mas não ter ideia de como programa em outra, justamente a que o cliente precisa para desenvolver um projeto.

Outra coisa que tenho visto muito ultimamente, é que o cliente quer tudo pra ontem. Então quando uma empresa contrata um programador precisa que ele entre desenvolvendo a todo o vapor, não dá pra ficar esperando ele aprender… ele que venha com experiência. Aprender programação se aprende sozinho.

Qual linguagem tem mais mercado de trabalho?

Isso vai depender de alguns fatores.

Primeiro; a cidade na qual quer trabalhar (seja a sua ou outra). Vejamos por exemplo o Delphi, que é uma linguagem que já foi um ícone da tecnologia, hoje está caindo em desuso.. mesmo tendo novas versões sempre, não é mais uma linguagem de ponta. Mas em algumas cidades o Delphi ainda é uma linguagem muito usada e com alta demanda. Pode ser porque lá tem uma grande empresa que sempre trabalhou com Delphi, dai outras empresas menores também começaram a trabalhar com ele, já que tinha muita mão de obra disponível, e assim, naquela cidade saber Delphi ainda hoje é sinal de “emprego certo”.

Segundo; o tipo de empresa que pensa em trabalhar. Se você quer trabalhar em uma startup com projetos super inovadores, ou se prefere trabalhar na indústria, ou em uma grande corporação, ou quem sabe em uma fábrica de software. Estamos falando de linguagens bem diferentes entre estas empresas.

Em uma startup normalmente se vê linguagens mais modernas como Python, Ruby ou frameworks para JavaScript, como Angular ou React. Na indústria o C é uma linguagem relevante, para integração com dispositivos, mas ao mesmo tempo na área administrativa destas empresas você verá dezenas de planilhas em excel (ou até Access)… onde o VBA dá as cartas. Se for uma indústria grande, verá SAP e Oracle ao invés do Excel. Percebe como a coisa muda? Grandes corporações e fábricas de software atualmente usam muito C# (.Net) e Java.

E o Android Tiago? Onde entra? E o iOS?

Principalmente nas Startups. Nas demais (por causa dos prazos curtos) é preciso que você já chegue com experiência e produzindo na pressão.

Qual a idade ideal pra aprender programação?

Já respondi essa pergunta uma vez em “Idade para começar a programar – 40 anos?“. Mas, sejamos sinceros, quanto mais velho a gente fica mais difícil fica pra aprender. É fisiológico, o cérebro vai desacelerando.. então se está próximo aos 40, terá que se esforçar e dedicar bem mais. Por outro lado, um profissional de 40 anos tem um domínio de conhecimentos em uma área qualquer (digamos, administração) que poderá ser seu grande diferencial enquanto desenvolvedor ou analista. Um programador jovem, é uma pessoa sem experiência de vida, sem malícia “dos negócios”, e esse tipo de conhecimento é necessário em algumas fases de projetos.

Unir um grande domínio em uma área qualquer com a tecnologia, é o segredo do sucesso. Muitos dos grandes serviços online de hoje foram soluções criadas por pessoas que tinham grande conhecimento em uma área de conhecimento, usando a tecnologia ao seu favor. Assim, todos naquela área de conhecimento percebem o quanto aquela nova tecnologia é útil, e assim a coisa decola.

Ficar rico com uma ideia

Não é fácil, é extremamente difícil. É aquela coisa “de um em um milhão”. Imagine o quanto é difícil montar um negócio ai na sua cidade… uma loja, uma empresa qualquer. Fazer um aplicativo (ou coisa do tipo) que te deixe rico, é bem mais difícil.

Muitas pessoas ficam maravilhadas com cases de sucesso de pessoas que ficaram milionárias criando novas tecnologias, dai, claro, quem ir atrás. O que é difícil alguém maravilhado ver é o trabalho que teve antes do sucesso, a quantidade de estudos, observações, tentativas e erros que foi necessária. Não foi a primeira ideia que veio na cabeça que foi feita. Não foi “juntando” uma ideia que viu em uma revista com outra que viu no fantástico que surgiu esse grande negócio.

Investir todo o dinheiro em um projeto

Algumas pessoas que deixaram seus trabalhos recentemente, estão com um bom volume de dinheiro em mãos e pensando em “investir” em um “app incrível pra ficar milionário”.

Fazer um software, um app, sistema ou coisa do tipo exige uma visão de gerência de projeto avançada. Conheço gerentes de projeto com muitos anos de trabalho com engenharia, e que ao trabalhar com gestão de projetos de T.I, não conseguiram dar conta. O prazo aumenta 40% de uma hora pra outra, num piscar de olhos, com uma facilidade incrível. O projeto torna-se inviável no meio do caminho. Coisas que na engenharia é praticamente impossível.

Gerir programador é uma das coisas mais difíceis a se fazer. O cara pode entrar em um padrão de código e levar meses pra fazer uma tela, imagina o sistema inteiro. Vejo isso acontecer com frequência.. dai quando o “investidor” percebe, já era, já passou o prazo, o dinheiro já foi quase todo embora e o projeto está longe de chegar ao final.

Ter um sócio programador

É um risco tremendo. Para os dois lados!!!

Para o investidor, manter o desenvolvedor motivado será um desafio… até onde o programador estará interessado em seguir em frente?

Para o programador, quando entra com o trabalho, o risco é trabalhar meses a fio, e quando chegar a hora de vender o sócio “que entrou com a ideia” desanima, resolve focar em outra coisa, ou simplesmente não consegue fazer as primeiras vendas e acaba desistindo do projeto. Tempo perdido.

Aprender programação e fazer eu mesmo

É um caminho. Não posso te falar que é o melhor deles, mas é uma alternativa. Por isso muitas pessoas estão buscando aprender elas mesmas como fazer seus sistemas.

O que não pode haver é pressa. Aprender (qualquer coisa) exige tempo, foco, dedicação.. haverá frustrações, a expectativa será sempre alta e as vezes será surpreendente de tão bom. Mas nada acontecerá “pra ontem”.

Ser um programador

Se você leu até aqui, é porque certamente acredita que programação pode ser pra você. Então busque informações, leia meu blog, pesquise sobre as novidade, tendências, escolha por qual caminho começar e então siga neste caminho até chegar ao seu objetivo!

Boa sorte!

 

Links selecionados

 
 

Classificado como: Posts Profissionais

Participar comentando (1) →

Deixe seu comentário

ra